segunda-feira, 21 de abril de 2014

Agente é preso e armas roubadas em Ribeirão das Neves são recuperadas.

ROUBO NA POLÍCIA

POLÍCIA PRENDEU QUATRO SUSPEITOS NA MADRUGADA DESTE SEGUNDA-FEIRA, ENTRE ELES, UM AGENTE PENITENCIÁRIO; ROUBO FOI CONSIDERADO O MAIOR DA HISTÓRIA DO SISTEMA PRISIONAL MINEIRO

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Fonte Normal
PUBLICADO EM 21/04/14 - 14h06
Quatro suspeitos foram presos na madrugada desta segunda-feira (21) pelo envolvimento com o roubo das armas na Central Integrada de Escoltas do Sistema Prisional, perto da Penitenciária Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, região metropolitana de Belo Horizonte. Entre os suspeitos, está um agente penitenciário. Segundo a Polícia Civil, 95% das armas roubadas, ou seja 39 peças, foram recuperadas.
Dentre os presos está o Agente penitenciário Marco Antônio de Oliveira Nogueira. Os outros três presos não tiveram o nome divulgado. Fora apreendidas 1.508 munições  e três pistolas ainda estão sendo procuradas. 
Segundo a polícia, foram 27 dias de investigação. Na última quinta-feira (17), após receberem algumas informações, as buscas foram intensificadas. As apreensões e prisões se deram entre a noite de domingo (20)  e a madrugada desta segunda-feira (21). 
As apreensões foram feitos em quatro lugares diferentes, próximo a casa do agente. A dona de uma das casas onde armas foram encontradas está sendo procurada pela polícia.  Segundo a Polícia Civil, as pistolas deveriam ser vendidas por R$ 4.000 ou R$ 5.000. Uma submetralhadora seria vendida R$ 21 mil. Os presos ainda serão ouvidos. 
O crime
O crime aconteceu no dia 24 de março, e foi considerado o maior da história do sistema prisional mineiro. Os responsáveis pela segurança no período estavam dormindo no momento do roubo e alegaram terem sido dopados. Não havia sinais de arrombamento no local.
Na ocasião, foram roubadas 39 pistolas de calibre .40, seis submetralhadoras e cerca de mil cartuchos de munição utilizados na escolta de presos da cidade. A polícia convocou uma coletiva de imprensa no fim da manhã desta segunda-feira (21), na qual dará maiores detalhes sobre o caso.
FONTE: O TEMPO.http://www.otempo.com.br/cidades/agente-%C3%A9-preso-e-armas-roubadas-em-ribeir%C3%A3o-das-neves-s%C3%A3o-recuperadas-1.826372

Armas levadas de Central de Escoltas são recuperadas, diz delegado.

Segundo Wanderson Gomes, polícia encontrou 90% do arsenal.

Foram presos 4 suspeitos; armas foram roubadas em Ribeirão das Neves.

Raquel FreitasDo G1 MG
5 comentários
Policial exibe uma das armas roubadas da Central de Escoltas e que foi recuperada. (Foto: Raquel Freitas/ G1 MG)Policial exibe uma das armas roubadas da Central de Escoltas e que foi recuperada. (Foto: Raquel Freitas/ G1 MG)
O delegado Wanderson Gomes, da Divisão de Operações Especiais (Deoesp) da Polícia Civil, informou, na manhã desta segunda-feira (21), que cerca de 90% das armas roubadas da Central de Escoltas de Ribeirão das Neves, no dia 24 de março, foram recuperadas. Além disso, quatro pessoas foram presas. Durante a ação criminosa no mês passado, 45 armas foram levadas da unidade do sistema prisional, ao lado da Penitenciária Dutra Ladeira.
No início da manhã, a Polícia Civil divulgou nota dizendo que o caso estava "totalmente esclarecido" e, em seguida, deu mais informações sobre as prisões e apreensões. De acordo com delegados responsáveis pela investigação, mandados foram cumpridos na noite de ontem e na madrugada desta segunda-feira (21). As armas foram recuperadas em quatro casas da periferia de Ribeirão das Neves, e algumas tinham numeração e brasão raspados.
Por volta das 10h45, um comboio chegou à sede do Deoesp, no bairro Gameleira, na Região Oeste, levando presos e o armamento recuperado. Policias exibiram algumas das armas. A polícia afirma que conseguiu reaver 33 pistolas .40 e seis submetralhadoras, além de 1,5 mil munições e 97 carregadores. Seis ainda estão desaparecidas.
Seis subemetralhadoras e 33 pistolas foram apreendidas (Foto: Raquel Freitas/G1)Seis subemetralhadoras e 33 pistolas foram
apreendidas (Foto: Raquel Freitas/G1)
Dentre os presos, há um agente penitenciário que estava de plantão no dia do roubo e um comprador do armamento, segundo o delegado Bruno Wink. Detalhes da participação do servidor não foram revelados. Um investigador que acompanhou a apresentação dos produtos recuperados disse ao G1 que os outros dois envolvidos são um irmão do agente e uma pessoa da região que ajudou na ação criminosa, mas não há confirmação disso pelos responsáveis pelo caso. A corporação espera prender um quinto suspeito, que já teria sido identificado.
Após o roubo, a Central de Escoltas foi desativada, e nove agentes que estavam de plantão foram afastados. De acordo com a Polícia Civil, as investigações devem durar mais cerca de 10 dias. Laudos períciais ainda não foram concluídos.
Dia do roubo
Trinta e nove pistolas .40 e seis submetralhadoras foram roubadas. Os agentes foram encontrados, na mudança de turno, alguns dormindo e outros passando mal. A suspeita é que eles tenham sido dopados. Alimentos que estavam no local foram recolhidos para perícia.
Por causa do roubo, nove agentes que estavam dentro da Central de Escoltas foram afastados preventivamente, e o local foi desativado. Lá ficavam os servidores responsáveis pela segurança no transporte de presos de todas as penitenciárias da cidade. À época do roubo, o subsecretário de Administração Prisional de Minas Gerais, Murilo Andrade de Oliveira, afirmou que o afastamento era um procedimento padrão, até que a Polícia Civil concluísse a investigação, e que os nove responderiam a processo administrativo.
Central de Escoltas, em Ribeirão das Neves, na Grande BH (Foto: Reprodução/TV Globo)Central de Escoltas, em Ribeirão das Neves, na Grande BH
(Foto: Reprodução/TV Globo)
Segurança
A casa onde funcionava a Central de Escoltas, de acordo com o subsecretário, não tinha alarme e nem circuito interno de TV. Uma câmera de segurança na Penitenciária Dutra Ladeira conseguia acompanhar o entorno da casa, mas não teria gravado nenhuma movimentação suspeita durante o roubo, no dia 24 de março.
As armas que foram roubadas estavam em dois lugares: dentro de um cofre e dentro de uma sala blindada. A Subsecretaria de Administração Prisional de Minas Gerais afirmou que nenhum destes locais foi arrombado, nem outra porta da unidade.

Polícia Civil recupera 90% das armas roubadas da Central de Escolta em Ribeirão das Neves

Segundo Wanderson Gomes, polícia encontrou 90% do arsenal.
Foram presos 4 suspeitos; armas foram roubadas em Ribeirão das Neves.

O delegado Wanderson Gomes, da Divisão de Operações Especiais (Deoesp) da Polícia Civil, informou, na manhã desta segunda-feira (21), que 90% das armas roubadas da Central de Escoltas de Ribeirão das Neves, no dia 24 de março, foram recuperadas. Além disso, quatro pessoas foram presas. Durante ação criminosa, 45 armas foram levadas da unidade do sistema prisional, ao lado da Penitenciária Dutra Ladeira.


Uma nota da Políca Civil diz que o caso está "totalmente esclarecido", mas não divulga outros detalhes. A corporação deve dar novos esclarecimentos ainda nesta manhã. Por volta das 10h45, um comboio chegou à sede do Deoesp, no bairro Gameleira, na Região Oeste, levando presos e o armamento recuperado. Policias exibiram algumas das armas.

Segundo um investigador, os presos são um agente penitenciário que estava de plantão no dia do roubo e um irmão deste, além de uma pessoa da região que ajudou na ação criminosa e um comprador do armamento. Não há confirmação oficial pelo delegado responsável pelo caso.

 
Trinta e nove pistolas .40 e seis submetralhadoras foram roubadas. Os agentes foram encontrados, na mudança de turno, alguns dormindo e outros passando mal. A suspeita é que eles tenham sido dopados. Alimentos que estavam no local foram recolhidos para perícia.
Por causa do roubo, nove agentes que estavam dentro da Central de Escoltas foram afastados preventivamente, e o local foi desativado. Lá ficavam os servidores responsáveis pela segurança no transporte de presos de todas as penitenciárias da cidade. À época do roubo, o subsecretário de Administração Prisional de Minas Gerais, Murilo Andrade de Oliveira, afirmou que o afastamento era um procedimento padrão, até que a Polícia Civil concluísse a investigação, e que os nove responderiam a processo administrativo.
 
 
Segurança
A casa onde funcionava a Central de Escoltas, de acordo com o subsecretário, não tinha alarme e nem circuito interno de TV. Uma câmera de segurança na Penitenciária Dutra Ladeira conseguia acompanhar o entorno da casa, mas não teria gravado nenhuma movimentação suspeita durante o roubo, no dia 24 de março.

As armas que foram roubadas estavam em dois lugares: dentro de um cofre e dentro de uma sala blindada. A Subsecretaria de Administração Prisional de Minas Gerais afirmou que nenhum destes locais foi arrombado, nem outra porta da unidade.

Fonte: Blog dos Agentes Penitenciários de Juiz de Fora

domingo, 20 de abril de 2014

Segundo a Polícia Militar, a arma é da marca Imbel, modelo GC MD5 LX calibre .40, com capacidade para 16 cartuchos e com um brasão da República, o mesmo tipo das pistolas levadas da Central de Escoltas. A numeração estava raspada, mas a parte à mostra confere com a identificação de um dos armamentos roubados.

Danilo Emerich - Hoje em Dia - 
Quase um mês após o furto de 45 armas da Central de Escoltas, atrás da Penitenciária Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a primeira pista para desvendar o crime pode ter sido encontrada. Uma pistola .40, que pertenceria ao arsenal roubado no dia 24 de março, foi apreendida com duas pessoas, na madrugada deste sábado (19).
 
Segundo a Polícia Militar, a arma é da marca Imbel, modelo GC MD5 LX calibre .40, com capacidade para 16 cartuchos e com um brasão da República, o mesmo tipo das pistolas levadas da Central de Escoltas. A numeração estava raspada, mas a parte à mostra confere com a identificação de um dos armamentos roubados.
 
Apreensão
 
A PM recebeu uma denúncia relatando que um homem estava armado em um bar na rua Antônio Benjamim Alves, no Florença, em Neves. O suspeito não foi encontrado no local, mas os militares localizaram a arma com uma mulher de 45 anos. Ela alegou estar com o armamento a pedido de Joanis Roberto de Jesus, de 25. Logo depois, os policiais encontraram o homem, que confirmou a posse da arma. Ele afirmou que a pistola era para defesa própria, mas não disse onde comprou.

 

Segundo a PM, no dia anterior, um saco com uma grande quantidade de munição foi apreendida em uma lagoa de uma fazenda, no bairro Metropolitano, na mesma cidade. Também há suspeita de que os cartuchos pertençam ao arsenal.
 
A investigação do roubo é conduzida pela Polícia Civil, mas a assessoria de imprensa da corporação não informou se há avanço no inquérito.
 
De acordo com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), nove agentes penitenciários que foram dopados, possivelmente por intoxicação alimentar, durante o roubo, continuam afastados.
 
Ao todo, foram roubados 39 pistolas .40, seis submetralhadoras .40 e 1.640 cartuchos de calibre .40, 12 e de fuzil 556. As armas ficavam em um cofre, dentro de uma sala restrita, protegida por porta de ferro da Central de Escoltas, que não possuía câmeras de segurança ou guaritas.

WhatsApp tem falha que permite descobrir localização do usuário

Invasor pode acessar dado através de falha de segurança em comunicação entre WhatsApp e Google Maps.


FOTO: Reprodução/Universidade de New Haven

SÃO PAULO – Mais uma falha de segurança foi descoberta no WhatsApp nessa semana: pesquisadores da Universidade de New Haven perceberam após estudos que invasores podem descobrir facilmente qual a localização exata de um usuário quando ele compartilha onde está com um amigo.
O problema acontece porque o WhatsApp usa o sistema de localização do Google Maps, utilizando imagens do serviço de mapas do Google para compartilhar a posição de seus usuários no espaço, mas faz essa transmissão de maneira desprotegida, sem um certificado de segurança.
Dessa maneira, um hacker que estiver vigiando a rede utilizada por um dos usuários conseguiria facilmente obter essas informações, sem nem ao menos precisar utilizar o aplicativo. O vídeo abaixo (em inglês) explica como esse processo pode ser feito.
Acesso a conversas
Em março, uma falha de segurança descoberta por um grupo de segurança holandês permitia que um invasor pudesse acessar o histórico de conversas dos usuários do Whatsapp de maneira simples. Segundo Bas Bosschert, diretor técnico da empresa holandesa Double Think, o problema permitiria a outros aplicativos acessar livremente o histórico de mensagens dos usuários do sistema operacional Android.

Isso aconteceria porque a base de dados do WhatsApp é salva em um cartão SD, que pode ser lida por qualquer aplicativo para Android se o usuário autorizar o acesso do aplicativo ao cartão. Como a maioria das pessoas dão todo tipo de permissão a um aplicativo, ficam com seu histórico de conversas vulnerável.
FONTE: ESTADÃO

"Só de sacanagem"

Elisa Lucinda

Meu coração está aos pulos!
Quantas vezes minha esperança será posta à prova? Tudo isso que está aí no ar: malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro, 

Do meu dinheiro, do nosso dinheiro, Que reservamos duramente para educar os meninos mais pobres que nós. Para cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais. Esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais.

Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais? É certo que tempos difíceis existem para aperfeiçoar o aprendiz. Mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz. 

Meu coração tá no escuro. A luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó E dos justos que os precederam: “Não roubarás”. “Devolva o lápis do coleguinha”. “Esse apontador não é seu, minha filha”.

Pois bem, se mexeram comigo, Com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, Então agora eu vou sacanear : Mais honesta ainda vou ficar! 

Só de sacanagem! Dirão: “Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo o mundo rouba” E eu vou dizer: “Não importa, será esse o meu carnaval, vou confiar mais e outra vez”. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos. Vamos pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês.

Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o escambau. Dirão: “É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde o primeiro homem que veio de Portugal”. E eu direi: “Não admito, minha esperança é imortal”. E eu repito: “Ouviram? IMORTAL!”

Sei que não dá para mudar o começo Mas, se a gente quiser, Vai dar para mudar o final! 

Profissionais de Segurança Prisional - Estejam atentos às técnicas que podem atingir-vos-lhes-nos.

Para os que têm luz em si, fé no bem, força no bom caráter.
TÉCNICAS DE ENGENHARIA SOCIAL
Uma das estratégias, intimamente ligada à questão do controle, é a enorme campanha midiática que infunde um sentimento de impotência. Uma verdadeira operação planeada que, por um lado, está a habituar à sensação de sentir-se impotente, e do outro dessensibiliza a violência, desativando qualquer reatividade emocional. Como tudo isso é implementado? Com o bombardeio de imagens e notícias violentas (assassinatos, massacres, destruição, brutalidade), sem nenhuma intervenção e/ou mudança para acabar com isso.
Porquê? Uma vez habituados a aceitar a ilegalidade, a deterioração, o roubo, o crime, a insegurança do território, as gangues, a imigração selvagem e assim por diante, "vistas como coisas inevitáveis e sem solução", ao mesmo tempo não temos espaço para pensar e refletir, pois somos alvos de intermináveis tarefas extenuantes: tributação, subsídios, impostos, taxas, imposto de selo, revisão da caldeira, do carro, etc. ao ponto que não é possível para nós entender o que realmente está a acontecer e, em particular, não podemos organizar-nos em conformidade.
A sensação de impotência, por meio da comunicação de massa, está a afetar a sociedade ocidental, de maneira capilar, as pessoas já estão completamente apáticas e sem vontade de mudar. Porque devemos mudar nós mesmos e as nossas vidas se não vemos a luz, se as expectativas são totalmente pretas? Isso, no entanto, congela e paralisa as consciências de milhões de pessoas, totalmente à mercê do Sistema.
"Assim você não ta nem aí para assunto sérios que influenciarão sua vida. Porque você já crê que não tem tempo para isso e que sua opinião de nada adiantará."

Cidadão flagra homem fazendo sexo com égua em lote vago, em Araguari

Homem é flagrado fazendo sexo com uma égua

Cidadão fotografou o suspeito quando ele fugia de bicicleta

Um cidadão de Araguari, no Triângulo Mineiro, acionou nossa equipe de reportagem após flagrar uma cena que qualificou como constrangedora. Paulo voltava pra casa pela manhã de quinta-feira, 17 de abril, após levar o filho para a escola, quando viu um homem praticando sexo com uma égua. Ele tirou uma foto do suspeito e entregou à Polícia Militar, mas o homem não foi localizado.

Sem títuloegua

O fato ocorreu por volta de 7h30 da manhã em um lote vago em frente à casa dele, na Rua Paulo Afonso, Bairro Brasília. Segundo o cidadão, o homem se aproveitou do fato de o lote estar com mato muito alto e possivelmente pensou que não seria visto. No entanto, Paulo o viu quando subiu no muro de casa.

“Ele estava com a calça lá em baixo. Eu dei uns gritos com ele e ele saiu meio cambaleando, caiu no meio do mato, pegou a bicicleta e fugiu.”

Ainda de acordo com Paulo, esta é a segunda vez que ele flagra uma cena de sexo entre um homem e um animal naquele lote. No entanto, na primeira ocorrência a PM conseguiu prender o suspeito.

SINDPEN-DF EMITE NOTA DE FALECIMENTO


É com grande pesar que o SINDPEN-DF comunica o falecimento do Agente de Atividades Penitenciárias Ralfis Ferreira dos Santos, lotado na DPOE.
As informações referentes ao velório e sepultamento serão prestadas no decorrer do dia.
O SINDPEN-DF e todos os Agentes de Atividades Penitenciárias solidarizam-se com a família do colega e lamentam profundamente a perda de um excelente servidor e membro da Família AGEPEN-DF.

sábado, 19 de abril de 2014

Atenção!!!! Novo aparelho para furtar carros.



Uma nova modalidade de furto de veículos, que tem gerado prejuízos a motoristas de outros Estados, como Rio Grande do Sul e São Paulo, pode ter chegado à capital mineira. Trata-se do uso de um dispositivo conhecido como “chapolin”, que, acionado pelos criminosos a certa distância do veículo, bloqueia o alarme e suas funções, como o travamento de portas. O dono acredita que o carro foi trancado, mas o ladrão conseguirá acessá-lo facilmente.
Um aposentado de 67 anos, que preferiu não ter o nome revelado, acredita ter sido vítima do golpe e só não teve os pertences de seu veículo furtados pois desconfiou da armação. Ele disse que no último domingo foi almoçar com sua mulher em um restaurante do bairro Alípio de Melo, na região da Pampulha. Ao estacionar na avenida Abílio Machado, uma das mais movimentadas da cidade, mesmo acionando o controle do alarme, seu carro não trancou.
“Notei que ele não fez aquele barulho das travas sendo acionadas. Como já estava atento a esse tipo de roubo, voltei para verificar se as portas tinham sido de fato trancadas. Para minha surpresa, o carro estava aberto”, contou. Após detectar o problema, ele percebeu que uma mulher sentada no meio-fio, perto do veículo, olhava muito para eles. Por isso, de maneira preventiva, o aposentado preferiu levar o carro a um estacionamento fechado na rua lateral. “Quis garantir a segurança do meu carro”, afirmou.
Após estacionar, quando se dirigia ao restaurante, o aposentado percebeu que a mesma mulher caminhava, possivelmente à procura do carro. “Quando ela nos viu, parou na esquina, ficou olhando e despistou pegando o celular”. Segundo ele, como o carro estava em local fechado, nada foi roubado. Por isso não houve o registro de ocorrência. “Não posso afirmar que ela roubaria o carro, mas a suspeita é forte”.
Sem ocorrênciasDe acordo com Adriano Assunção, chefe da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos da Polícia Civil, não há registros desse golpe em Belo Horizonte. “Mas estamos atentos à situação, e nossas equipes estão monitorando as ocorrências para verificar novas modalidades”, disse.
A chefe do Comando de Policiamento da Capital (CPC), coronel Cláudia Romualdo, também afirmou que não há ocorrências desse novo crime na cidade. “Que eu tenha tido conhecimento, não houve nenhum registro nesse sentido”.
Saiba mais
Porto AlegreOs primeiros casos de furtos de veículos utilizando o dispositivo “chapolin” para bloquear a ação do alarme foram registrados em Porto Alegre (RS). De acordo com Juliano Ferreira, titular da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, quatro pessoas já foram presas em flagrante portando o aparelho naquela cidade. Segundo ele, outras centenas de casos da mesma natureza estão sendo investigadas.
Controle remoto.  Segundo Gláucio Siqueira, professor de telecomunicações da PUC-Rio, o “chapolin” é um controle remoto para eletroeletrônicos, vendido legalmente em alguns países estrangeiros. Os criminosos descobriram um “efeito colateral” desse aparelho: quando acionado, ele inibe e invalida o comando de outros controles, como os dos alarmes de veículos.
Recomendação . A chefe do CPC da capital mineira, coronel Cláudia Romualdo, recomenda que, em caso de furto, as vítimas liguem para o telefone 190. Segundo ela, pode ser possível identificar os criminosos por meio das câmeras de monitoramento instaladas em Belo Horizonte.

Ainda não há equipamento para barrar a ação do ‘chapolin’

A reportagem de O TEMPO procurou mais de dez concessionárias de veículos e revendedoras de acessórios da capital e, em todas, foi possível constatar que não existe, até o momento, nenhum tipo de configuração ou ajuste que possa ser feito no alarme do carro para impedir a ação do dispositivo conhecido como “chapolin”.

“No entanto, em função das últimas notícias de furto no país, já estamos recomendando que os clientes tenham atenção redobrada ao utilizar o alarme, para verificar se o carro foi devidamente fechado”, afirmou Leonardo Oliveira, vendedor de uma loja de acessórios localizada na região Noroeste da capital.

A chefe do Comando de Policiamento da Capital (CPC), coronel Cláudia Romualdo, também recomenda os mesmos cuidados aos motoristas. “Além de apertar o controle do alarme, confira a maçaneta para verificar se o carro travou. Não podemos confiar apenas na tecnologia”. Outro alerta dado pela coronel é para que o condutor não deixe objetos dentro do veículo, sobretudo à mostra. “A orientação é válida para todos, independentemente de haver ou não o golpe”, completou Cláudia.
Fonte: O Tempo

Ladrões bloqueiam travamento de portas de carros para roubar pertences.

Equipamento inibe a frequência do controle remoto que trava as portas. Motoristas devem ficar mais atentos para evitar o golpe

LEANDRO EIRÓ
Rio - Tecnologia a serviço do crime. Os ladrões, em especial no Rio Grande do Sul e São Paulo, encontraram uma nova maneira de furtar objetos deixados dentro dos carros. Um aparelho, batizado de ‘chapolin’, emite uma frequência que bloqueia o alarme acionado pelo controle remoto do veículo, permitindo o seu acesso sem necessidade de arrombamento.
Grandes estacionamentos de shopping center são os alvos preferidos para os ladrões, que acionam o 'chapolin' no momento de fechar o carro
Foto:  Reprodução Internet

Funciona da seguinte forma: o ladrão dispara a frequência do ‘chapolin’ dentro de certa distância do veículo. O dono sai do carro e aciona o controle remoto, julgando que o deixou trancado. Mas o aparelho não permite que o sinal emitido pelo dispositivo acione as travas e o alarme. Após o proprietário se afastar, o criminoso consegue acessar o carro, que na verdade ficou aberto, e rouba os pertences das vítimas.
O 'Chapolin': tecnologia a serviço do crime
Foto:  Reprodução TV
No estado do Rio Grande do Sul, onde há maior incidência deste crime, o aparelho já foi encontrado sendo vendido nas ruas por golpistas. Na Internet também é possível adquiri-lo em sites internacionais, que o anunciam como controle remoto. Há ainda versões complexas da bugiganga, que chegam a copiar a frequência emitida pelos alarmes.
Questionada, a assessoria da Polícia Civil do Rio disse que não tem conhecimento de crimes desta modalidade, assim como não há investigação aberta pela Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA). Esclareceu que as vítimas costumam dar queixas em qualquer delegacia, mas nenhum caso ainda foi direcionado para apuração da especializada.
Como se prevenir
Ao acionar o alarme do carro, confira se as portas foram travadas de fato. Carros mais modernos possuem trancas eletrônicas que geram códigos diferentes a cada acionamento, o que pode impedir a clonagem. Outra atitude válida é acionar a trava de forma mecânica, o velho hábito de virar a chave no carro. Evite também deixar bens no interior do veículo.
FONTE:http://odia.ig.com.br/noticia/automania/2014-04-09/furto-tecnologico-de-automoveis-bloqueador-de-alarme.html