quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Agentes penitenciários e socioeducativos poderão permanecer nos contratos em até três anos por decisão do TJMG

Créditos: FACEBOOK 
Sargento Rodrigues
A imagem pode conter: 9 pessoas, pessoas sorrindo

Nessa data, o Órgão Especial do TJMG julgou os embargos de declaração opostos pela Advocacia Geral do Estado na ADI 1.0000.16.074933-9/000 que discute a inconstitucionalidade dos contratos dos agentes penitenciários e socioeducativos.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas e área interna

Quando do julgamento da referida ADI os Desembargadores decidiram pela inconstitucionalidade dos contratos reconhecendo, porém, a sua continuidade até o dia 31/12/2017, quando todos deveriam ser rescindidos.
No julgamento dos embargos, ocorridos em 13/12/2017, por maioria, os Desembargadores conferiram modulação dos efeitos da decisão anterior para autorizar a continuidade dos contratos, então existentes até 26 de abril de 2017, pelo prazo de 03 anos conforme regulamentado pela Lei 18.185/2009.
Noutras palavras, o Governo poderá manter os contratados que em 26 de abril de 2017 já se encontravam no sistema até o final de seus contratos.

A imagem pode conter: 8 pessoas, multidão e área interna
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, multidão e atividades ao ar livre

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas leitores e não correspondem, necessariamente, a opinião do autor deste blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.