sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Transferência de agentes pode prejudicar segurança de presídio

Ausência imediata seria de 40 profissionais
 
A transferência de 40 agentes penitenciários que atuavam no Presídio Alvorada de Montes Claros para o novo anexo do Presídio Regional, também na cidade, pode prejudicar a segurança e os serviços prestados. A situação foi denunciada nessa quinta-feira (17) por pessoas ligadas ao Sistema Prisional da região.
A publicação tratando do tema, assinada pelo Secretário de Estado de Administração Prisional (SEAP), Francisco Kupidlowski, foi feita no Diário Oficial do Estado de Minas Gerais na quarta-feira (16). A inauguração do novo anexo do Regional deve acontecer no próximo dia 24.
De acordo com os denunciantes, a novidade intitulada como “caótica e amadora” traz indignação, revolta e preocupação, já que seria a responsável pela remoção de quase 50% do atual efetivo do Alvorada. “Uma unidade com estrutura física de cadeia pública e que agora terá em seu quadro de agentes uma redução monstruosa”, ressalta uma nota divulgada por agentes.
A preocupação principal seria a segurança. Números não oficiais dão conta de que atualmente as equipes que se revezam no trabalho durante o dia contam com 35 profissionais cada. Com a mudança, esse número cairia para cerca de 10. Equipes noturnas, por exemplo, passariam a ter cerca de cinco agentes, ao invés de 12. “Atitude perigosa e impensada. A secretaria preferiu jogar a segurança do Presídio Alvorada pelo ralo”, alertou ainda a mensagem.
Banho de sol, entrega de alimentação, visitas, sala de aula e até consultas médicas também seriam diretamente prejudicadas. “[Fica o] alerta para que medidas a fim de reverter as remoções sejam urgentemente revistas ou o caos pode se instalar”, disse a mesma mensagem divulgada por um grupo de agentes. Escalas de trabalho, férias e folgas também deverão ser prejudicadas.

CRITÉRIO | Os critérios utilizados pela secretaria para escolher os agentes transferidos também foi motivo de reclamação. A hipótese de permuta – quando é feita a troca de um agente por outro de maneira voluntária – não teria sido levada em consideração. Isso porque inúmeros agentes de Montes Claros que trabalham atualmente em outros pontos do Estado estariam dispostos a realizar a permuta para atender a nova demanda. “Existe um número gigantesco de servidores da região que lutam para retornar às origens. Logo, agentes para compor o quadro do anexo não faltariam”, disse a mesma mensagem.
Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Administração Prisional (SEAP) informou que “está equilibrando a quantidade de servidores das unidades prisionais de Montes Claros para atender a nova unidade do município” e que este equilíbrio vem ocorrendo tanto nas unidades de Montes Claros, quanto nas unidades de cidades vizinhas. “O procedimento não trará prejuízos para a segurança das unidades da região”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas leitores e não correspondem, necessariamente, a opinião do autor deste blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.