sábado, 25 de fevereiro de 2017

Após cumprir quase 7 dos 22 anos, goleiro Bruno deixa prisão

Goleiro Bruno ficou preso durante 6 anos e 7 meses
Goleiro Bruno ficou preso durante 6 anos e 7 meses Foto: Ney Rubens / Especial para Terra



O ex-goleiro Bruno Fernandes das Dores Souza, 32 anos, deixou a cadeia na tarde desta sexta-feira, por volta de  19h30, após ter ficado preso quase 7 anos por ter sido condenado a 22 anos e 3 meses de prisão pela morte da ex-amante, Eliza Samudio, na época com 25 anos, e pelo sequestro e cárcere privado do filho dela, que a ex-modelo alegava ser de Bruno. O crime aconteceu em 10 de junho de 2010 e o júri popular aconteceu em março de 2013. Bruno se entregou à Polícia Civil do Rio de Janeiro em 7 de julho de 2010.

O oficial de Justiça com o alvará de soltura chegou no início da noite e o ex-atleta deixou a Associação de Proteção ao Condenado de Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, em um carro do advogado dele, Lúcio Adolfo. Quando soube da notícia de que seria libertado, "ele chorou e ficou em choque, emocionado", relatou o advogado. O ex-atleta não quis dar declarações. Na saída, ele foi cumprimentado por amigos e familiares.

Goleiro deixa a prisão ao lado da mulher, Ingrid
Goleiro deixa a prisão ao lado da mulher, Ingrid Foto: Ney Rubens / Especial para Terra



Ex-goleiro do Flamengo, Bruno foi campeão brasileiro em 2009, ao lado de jogadores como Petkovic e Adriano Imperador. Ele foi libertado após liminar concedida pelo ministro Marco Aurélio de Mello, do Supremo Tribunal Federal, no último dia 21. O magistrado acolheu o pedido da defesa, que alegou morosidade no julgamento do recurso que pede a anulação do julgamento que condenou Bruno.

De acordo com a defesa do goleiro, o habeas corpus foi impetrado logo após o júri, em 2013, e desde então percorreu as três instâncias da justiça. O plenário do STF ainda vai julgar o mérito, e o goleiro poderá voltar para a cadeia se o hc for negado, o que não acredita Adolfo: "Ele já cumpriu 2/5 da pena por homicídio. O Macarrão, por exemplo, foi condenado a 12 anos (o correto são 15 anos) e já está livre. Então, pelo menos o princípio de isonomia tem que ser observado," disse.
Solto, Bruno deverá ter residência fixa e comunicar a Justiça qualquer mudança de endereço ou viagem. Ele não precisará utilizar tornozeleira eletrônica. Além do goleiro, mais cinco pessoas foram condenadas pelo sumiço e morte de Eliza Samudio, entre elas, Luiz Henrique Romão, o Macarrão, amigo de Bruno.

Propostas
O advogado de Bruno disse que o goleiro tem propostas de times brasileiros para voltar a jogar, entre eles "equipes da 1ª divisão". Em 2014, Bruno chegou a assinar contrato com o Montes Claros, time de mesmo nome da cidade do norte de Minas Gerais. O vínculo seria até 2019.Durante o período em que esteve preso, o ex-goleiro afirmou várias vezes que treinava rotineiramente para voltar a jogar futebol quando saísse da cadeia. A atual mulher dele, Ingrid Calheiros, providenciou luvas e chuteiras para que ele pudesse exercer os treinamentos na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, onde cumpriu a maior parte da pena enquanto esteve preso.
NOTÍCIAS: NOTÍCIAS TERRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas leitores e não correspondem, necessariamente, a opinião do autor deste blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.