quinta-feira, 28 de julho de 2016

Ruy Muniz é liberado da prisão domiciliar. Decisão do Tribunal Regional Federal esquenta o quadro político de Montes Claros

Na tarde desta quarta-feira (27), desembargadores e juízes convocados do Tribunal Regional Federal da Primeira Região, em reunião colegiada, decidiram pela liberdade do prefeito Ruy Muniz. Por 4 votos a 1 eles revogaram a prisão domiciliar e deram a Muniz o direito de voltar a circular por Montes Claros. No entanto, Muniz permanece com a restrição de não ter contato com servidores municipais. Já a secretária de Saúde, Ana Paula Nascimento, não está mais impedida de ter contato com servidores municipais, exceção para os servidores da secretaria de Saúde.

Ruy Muniz disse que usou os 100 dias em que ficou privado de liberdade para escrever um livro onde conta sua história e agora, livre, garante que será o candidato à reeleição pelo PSB e que vai sair com uma grande coligação, com o PMDB indicando o nome para compor a chapa como vice. Muniz ressaltou, também, que não guarda mágoas em relação a grupos ou a pessoas.

- Sabia que a Justiça seria feita porque não fizemos nada de errado. Não trazemos mágoas de ninguém e estamos dispostos a trabalhar para fazer de Montes Claros um lugar ainda mais promissor para se viver e contamos com nosso povo campeão - conclama.



POR MARCELO VALMOR

O Tribunal Regional Federal (TRF) 1ª Região, de Brasília (DF), em reunião colegiada, decidiu por 4 X 1 liberar o prefeito licenciado Ruy Muniz de cumprir a prisão domiciliar, obtida junto a corte em 19 de maio de 2016. O processo que trata da sua volta à prefeitura de Montes Claros, entretanto, será avaliado posteriormente. O quadro político não só da cidade, mas de todo o Norte de Minas Gerais, se altera radicalmente com a decisão do TRF-DF.

A decisão não chegou a ser uma surpresa para quem acompanhava o caso, já que estava prevista a reunião da corte em Brasília-DF nessa quarta-feira (27), para dar um encaminhamento definitivo à ação que movia Muniz reivindicando o fim da prisão domiciliar. A confirmação de sua saída dos limites de sua residência, aponta para a inocência do prefeito licenciado no processo que o Ministério Público federal (MPF) e da Polícia Federal (PF) movem contra ele.

- Estamos imensamente felizes com essa decisão. Sempre acreditamos, sempre confiamos na Justiça. Temos certeza da nossa inocência e vamos provar, porque a fé em Deus é que nos move. Agora é vida normal. Sou pré-candidato a prefeito e no dia 4 de agosto, na convenção do PSB, colocarei meu nome para a disputa da Prefeitura de Montes Claros - afirmou o prefeito licenciado, Ruy Muniz.

A deputada federal Raquel Muniz (PSD) ressaltou a força da fé e da perseverança para que o caso conhecesse um desfecho feliz.

- A nossa família está em festa. Como mulher de fé que sou sempre acreditei em Deus e na Justiça. Temos certeza de que a verdade prevalecerá - comemorou.

Para a advogada e presidente da Comissão Provisória Municipal do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Marilda Marlei e Silva, a decisão do TRF-DF foi comemorada com muita satisfação, ao afirmar que Muniz é o maior quadro do partido, e que ele vai para as eleições em outubro.

- Recebemos com muita a alegria a notícia da liberdade de Ruy. O PSB se sente honrado em tê-lo como um dos filiados e como forte pré-candidato à prefeitura de Montes Claros. Dia 4 de agosto faremos a nossa Convenção, e temos a certeza que vamos escolher o melhor para a cidade - confirmou.

O Diretório Estadual do Partido Socialista Brasileiro (PSB) em nenhum momento deixou de externar apoio para que fosse feita uma apuração rigorosa do caso envolvendo Ruy Muniz, nomeando para isso uma comissão para avaliar o processo jurídico que o impediu momentaneamente de exercer suas funções de prefeito eleito pelo voto popular em 2012.

A comissão, composta pelo deputado estadual Roberto Andrade, pelo prefeito de Conselheiro Lafaiete, Ivair de Almeida, além do deputado federal, Tenente Lúcio, ouviu as partes envolvidas e concluiu, em relatório, que Muniz não tinha culpa formada no processo, orientou o partido para que o mantivesse no seu quadro de filiados. 

Juristas e advogados consultados ao longo desse processo externaram posição contrária ao processo movido contra o prefeito licenciado de Montes Claros, Ruy Muniz, entre eles o juiz aposentado, Augusto Vieira.

Créditos: Onorte

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas leitores e não correspondem, necessariamente, a opinião do autor deste blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.