sexta-feira, 6 de maio de 2016

Servidores do sistema prisional reclamam das condições de trabalho

Falta de funcionários e superlotação são problemas em Juiz de Fora.
Secretaria de Estado de Defesa Social se posicionou sobre o assunto.



Funcionários do sistema socioeducativo prisional do Estado, em Juiz de Fora, reclamam da superlotação do local e da falta de servidores no quadro, que agrava em más condições de trabalho. O grupo já tinha realizado um protesto, em abril, reivindicando melhorias das condições de trabalho e o pagamento não escalonado.  No entanto, os pedidos não foram atendidos.
Para o Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público do Estado, a falta de profissionais afeta as oito unidades que fazem parte do complexo penitenciário da cidade. Segundo o assistente executivo, André Luís de Oliveira, essa falta de funcionários gera um acúmulo de função para os que já trabalham nos sistemas prisionais.
A falta de servidores no presídio é o que mais incomoda os funcionários de Juiz de Fora, já que, segundo o Sindicato, existem candidatos aprovados em um concurso realizado em 2013 e que ainda não foram chamados. A técnica de enfermagem Milene Silva passou no concurso para trabalhar na área de enfermagem e aguarda, há três anos, ser chamada par trabalhar no local.
A equipe de produção do MGTV entrou em contato com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) que reconheceu a superlotação do sistema prisional. Em relação às condições de trabalho, a assessoria informou que a montagem das equipes segue na portaria interministerial. Sobre a convocação dos concursos, a Seds informou que só serão ocupadas as vagas previstas no edital.
FONTE: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas leitores e não correspondem, necessariamente, a opinião do autor deste blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.