sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Quadrilha intercepta comboio e 37 presos fogem em rodovia de Cajuru Suspeitos assaltaram carro-forte e depois abordaram dois veículos da SAP. PM busca presidiários em canaviais com apoio do helicóptero Águia.

CRÉDITOS: G1
Trinta e sete presidiários foram libertados na manhã desta sexta-feira (7) por uma quadrilha que interceptou dois veículos que faziam o transporte dos detentos na Rodovia Abrão Assed (SP-333) próximo a Cajuru (SP).
A Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo (SAP) confirmou a ocorrência. Ninguém se feriu nesta ação.
O bando suspeito de libertar os presos é o mesmo que teria explodido e roubado um carro-forte minutos antes, em outra estrada da região, a SP-338, entre Mococa (SP) e Cajuru (SP).
Um segurança que transportava o dinheiro foi morto em confronto com os ladrões. Não há informações sobre o total de feridos na ocorrência.
Rodovia Abrão Assed foi interditada para perícia e busca dos presos foragidos (Foto: Paulo Souza/EPTV)
Rodovia Abrão Assed foi interditada para perícia e busca dos presos foragidos (Foto: Paulo Souza/EPTV)
Ainda de acordo com a Secretaria, também houve troca de tiros entre os suspeitos e os agentes penitenciários que faziam a escolta dos presos, mas ninguém se feriu. Nove detentos eram transportados em uma S-10 e outros 32 em uma viatura oficial. Eles eram levados de Casa Branca (SP) para Serra Azul (SP), para apresentações judiciais.
Buscas
Quatro presidiários libertados permaneceram no local e não fugiram, segundo a SAP. Outros 37 estão sendo procurados pela Polícia Militar, inclusive com apoio de três helicópteros Águia, em canaviais e rodovias da região. O trecho da Rodovia Abrão Assed permanece interditado.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) informou que o delegado de Mococa, Wanderley Fernandes Martins Junior, está no local e investiga o caso. Ainda de acordo com a SSP, uma equipe do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) está a caminho do local para apoiar as investigações.

O Grupo Protege, empresa responsável pelo carro-forte roubado, informou em nota que aguarda a apuração dos fatos e que colabora com as autoridades policiais na investigação.
Carro usado pela quadrilha tinha vidros cortados para uso das armas na ação (Foto: Paulo Souza/EPTV)
Carro usado pela quadrilha tinha vidros cortados para uso das armas na ação (Foto: Paulo Souza/EPTV)

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas leitores e não correspondem, necessariamente, a opinião do autor deste blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.