terça-feira, 20 de janeiro de 2015

AFASTAMENTO DOS AGENTES ALEXANDRE GUERREIRO, UARLEI SANTOS E ALAN MARQUES SE ARRASTA ATÉ HOJE NA CORREGEDORIA SUAPI-MG


SERÁ MOROSIDADE OU INÉRCIA DA CORREGEDORIA DA SUAPI?


"Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas, mas jamais conseguirão deter a primavera inteira". (Che Guevara)


Os Agentes Alexandre Guerreiro - Moc, Agente Uarlei Santos e Agente Alan Marques injustiçados com o afastado arbitrário da nossa unidade prisional de origem o PRMOC/MG por 90 dias, sem justificativa, sem ampla defesa e sem contraditório mediante ato do subsecretário – SUAPI, ocorrido na data de 29 de abril de 2013, aguardam sentença dos fatos.

"Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas, mas jamais conseguirão deter a primavera inteira". (Che Guevara)

Histórico:

Os Agentes foram transferidos para a Penitenciária de Francisco Sá localizada à 60 km de Montes Claros. O  afastamento dos servidores ocorreu de maneira obscura, ou seja, os servidores  expostos a um tribunal de exceção; os agentes foram ridicularizados pela corregedoria do SISTEMA PRISIONAL, o corregedor pegou um aparelho celular do bolso e começou a filmar o massacre, e atirou ofensas calúnia aos guerreiros tratando-os como  "bandidos" dizendo que estávamos afastado do PRMOC-MG, que ele sub corregedor estava a mando de Murilo Andrade, QUE hoje é secretário no estado do Maranhão; - então, o tal sub corregedor SUAPI ordenou que se os Agentes não apresentassem de imediato na Penitenciária de Francisco Sá, já era para cortar o ponto. No tocante, os Agentes recusaram a coação de assinar o papel que estava em mãos do corregedor, uma vez que, lesaram todos os direitos dos agentes públicos, bem como, presença do advogado, e o Senhor sub corregedor exclamou que a lei era ele, e que a justiça estava contra os Agentes... Foram registrado um REDS nº 2013-008906527-001 para futuras providências. Contudo, e respeitando o ato do secretário comparecemos na Unidade Penitenciária de Francisco Sá dia 30/04/2013. O diretor da unidade de Francisco Sá disse aos agentes que tal situação era de interesse do estado, e que o MP havia pedido o afastamento dos Agentes da 11ª RISP, e depois saberíamos o que ocasionou o afastamento de noventa dias dos três Agentes. Os servidores não receberam  ajuda de custo, e o  período de trânsito não foram respeitados e a remoção no IOF-MG foi em caráter definitivo).

Motivos do afastamento:

Os Agentes Prisionais afastados lutavam pela moralização do Presídio Regional de Montes Claros, pois, sempre denunciavam junto ao MP irregularidades da atividades do PRMOC-MG, como também denunciavam na OUVIDORIA GERAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Existem denúncias falhas da segurança do presídio, falta d'água na unidade prisional, super lotação, presos reclamando de trabalho irregular nas empresas privadas do presídio e outros esquemas administrativos ilícitos.

Esse afastamento é subentendido como retaliação, fatos ocorreram depois que  denúncias foram repassadas aos órgãos fiscalizadores, os agentes começaram a sofrer assédio moral e perseguição por parte de pessoas denunciadas. Assim, os Agentes fomentam que ganharam um longo CASTIGO do sistema prisional, que até hoje os fatos são comentados por terceiros e colegas.

FONTE: UNIÃO DOS AGENTES PRISIONAIS - MG

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas leitores e não correspondem, necessariamente, a opinião do autor deste blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.