segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Preso pede em carta sequestro de família de agente Segundo a polícia, o objetivo era forçar o funcionário a facilitar a fuga de detentos de presídio, mas não foi divulgado qual

Preso deu instruções na carta sobre as informações que queria sobre o agente penitenciário

Preso, carta, sequestro, família, agente penitenciário, Campinas
Pai e filho foram detidos na manhã desta quinta-feira (13), em Campinas, por suspeita de tráfico de drogas e porte de armas. Na casa de um deles, um auxiliar de engenharia ambiental de 26 anos, a Polícia Militar (PM) achou uma carta escrita de dentro de um presídio, por um integrante de uma facção criminosa, que passava instruções de sequestro de familiares de um agente penitenciário.
 
A carta foi achada dobrada dentro de uma Bíblia que estava sobre um móvel no quarto do rapaz. Além da carta, a polícia apreendeu na casa um pé de maconha e diversos apetrechos usados na mistura de cocaína.
 
A polícia não informou de qual presídio foi enviada a carta para não atrapalhar as investigações. Na carta, havia orientação para apurar a vida diária do agente e sua família. O objetivo do autor, cujo nome não foi revelado, era usar os dados para obrigar o agente a facilitar a fuga de alguns integrantes da facção que estão presos.
 
 
Denúncia
 
A detenção dos suspeitos ocorreu por volta das 7h no Jardim São Bento, região do Campo Grande, após denúncias anônimas que davam conta de que no imóvel havia tráfico. Os policiais foram ao bairro e depararam com um soldador, de 54 anos, em uma moto. Ele foi abordado e levado até sua casa, onde permitiu a entrada dos PMs, que, durante buscas pelo quintal, achou um pé de maconha perto da porta da casa dos fundos.
 
No imóvel mora o auxiliar, filho do soldador e que estava dormindo. Ele alegou que a planta era para consumo e permitiu a entrada dos policiais que revistaram o local e acharam drogas escondidas no forro, pinos vazios, neocaína e outros produtos usados para mistura de cocaína, inclusive um caderno com receita de como fazer a mistura da droga, além de uma garrucha calibre 22.
 
Encomenda
 
"O rapaz faz o tráfico de encomenda. O comprador pede uma determinada quantidade e ele prepara e manda entregar", contou o tenente da PM Paulo Bueno.  Todo o material, inclusive a carta, foi recolhido. Policiais da delegacia de Antissequestro (Deas) foram acionados para ver o material.
 
O soldador ficou preso por embriaguez ao volante e resistência, enquanto o filho por porte de arma, tráfico de drogas e também por sequestro. A Polícia Civil agora vai investigar quem é o autor da carta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas leitores e não correspondem, necessariamente, a opinião do autor deste blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.