quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Goleiro Bruno volta para a Penitenciária Nelson Hungria.

Transferência aconteceu na terça-feira em total sigilo. Advogados começaram a trabalhar pelo retorno do goleiro a Contagem após juiz negar a permissão para trabalho externo do goleiro, que pretendia jogar no Montes Claros Futebol Clube.


 postado em 26/11/2014 13:39 / atualizado em 26/11/2014 14:01



O goleiro Bruno Fernandes voltou para a Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Defesa Social. A transferência aconteceu na terça-feira em total sigilo.

Preso desde julho de 2010, Bruno foi transferido do presídio na Grande BH para a Penitenciária de Francisco Sá, no Norte de Minas Gerais, onde estava desde o dia 20 de junho. A transferência fazia parte de uma estratégia da defesa para conseguir autorização para que o ex-goleiro pudesse sair para trabalhar durante o dia. Em 28 de fevereiro, Bruno assinou contrato com o Montes Claros Futebol Clube, equipe da segunda divisão do futebol mineiro.

O advogado de Bruno, Thiago Lenoir, disse que desde que o juiz de Francisco Sá, Flambo da Costa, negou o pedido de trabalho externo para que Bruno voltasse a jogar futebol no Montes Claros Futebol Clube, a defesa começou a trabalhar objetivando o retorno dele a Região Metropolitana de Belo Horizonte “para ficar próximo da sua família”. Segundo ele, mediante essa ação, a Superintendência de Administração Prisional (Suapi), numa decisão administrativa, decidiu transferir o detento novamente para a Nelson Hungria, onde, ainda de acordo com o advogado, a superintendência entendeu que era “o melhor lugar par o Bruno ficar”.

Ele também declarou que o contrato com o Montes Claros Futebol Clube continua vigente, entretanto, está temporariamente suspenso enquanto o ex-goleiro não obter autorização para saída para o trabalho externo, o que é objeto de um recurso apresentado pelos advogados de Bruno junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas leitores e não correspondem, necessariamente, a opinião do autor deste blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.