sábado, 30 de agosto de 2014

Análise pericial do padrão de consumo de álcool em Agentes da Segurança Pública e seus fatores de risco.



Resumo:
 Uso de álcool por policiais, no contexto do policiamento, representa potencial para graves consequências. O padrão de consumo pode ser analisado visando rastreamento e prevenção. Por meio de um levantamento literário evidenciaram-se poucos estudos nesse sentido. A prevalência de uso de álcool durante a vida que foi encontrada entre policiais brasileiros variou de 48% a 87,8% (na população geral, de 74,6%, e nos trabalhadores, por meio do levantamento SESI, 78,7%). Internacionalmente, atinge 76,3% a 91% dos policiais, sendo que o beber em binge alcança 48% dos homens e 40% das mulheres. O uso abusivo de álcool variou de 5 a 25% (12 a 32% dos policiais no mundo; no levantamento feito pelo SESI, 50% dos trabalhadores). A dependência alcoólica variou de 3% a 19,2% nos estudos brasileiros e internacionais. Os policiais apresentam maior prevalência de uso de álcool do que a população geral e menores taxas de abstinência, semelhante a outros trabalhadores, com elevados níveis de binge-drinking em homens e mulheres e uso nocivo nos mais jovens. Eles trabalham expostos a situações e fatores de estresse específicos da ocupação e pessoais, com efeitos físicos, psíquicos e sociais, aumento de morbidade e mortalidade. A habilidade de coping ineficaz e mal-adaptado, exposição a incidentes críticos, emoções negativas, ansiedade e depressão, fator social de adaptação/ajustamento e cultura organizacional de encorajamento podem estar associados ao maior uso de álcool. A maioria dos danos ocupacionais relacionados ao álcool são por bebedores excessivos (binge) e não os com dependência. Todos os policiais, com participação da perícia médica, devem ser submetidos a rastreamento e prevenção do uso de álcool, associado às intervenções breves, podendo ser utilizado o AUDIT. Intervenções especiais são necessárias para policiais recrutas, mais jovens e nas femininas. 
FONTE:
Documento completoAnálise pericial do padrão de consumo de álcool em policiais e seus fatores de risco

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas leitores e não correspondem, necessariamente, a opinião do autor deste blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.