segunda-feira, 21 de abril de 2014

Polícia Civil recupera 90% das armas roubadas da Central de Escolta em Ribeirão das Neves

Segundo Wanderson Gomes, polícia encontrou 90% do arsenal.
Foram presos 4 suspeitos; armas foram roubadas em Ribeirão das Neves.

O delegado Wanderson Gomes, da Divisão de Operações Especiais (Deoesp) da Polícia Civil, informou, na manhã desta segunda-feira (21), que 90% das armas roubadas da Central de Escoltas de Ribeirão das Neves, no dia 24 de março, foram recuperadas. Além disso, quatro pessoas foram presas. Durante ação criminosa, 45 armas foram levadas da unidade do sistema prisional, ao lado da Penitenciária Dutra Ladeira.


Uma nota da Políca Civil diz que o caso está "totalmente esclarecido", mas não divulga outros detalhes. A corporação deve dar novos esclarecimentos ainda nesta manhã. Por volta das 10h45, um comboio chegou à sede do Deoesp, no bairro Gameleira, na Região Oeste, levando presos e o armamento recuperado. Policias exibiram algumas das armas.

Segundo um investigador, os presos são um agente penitenciário que estava de plantão no dia do roubo e um irmão deste, além de uma pessoa da região que ajudou na ação criminosa e um comprador do armamento. Não há confirmação oficial pelo delegado responsável pelo caso.

 
Trinta e nove pistolas .40 e seis submetralhadoras foram roubadas. Os agentes foram encontrados, na mudança de turno, alguns dormindo e outros passando mal. A suspeita é que eles tenham sido dopados. Alimentos que estavam no local foram recolhidos para perícia.
Por causa do roubo, nove agentes que estavam dentro da Central de Escoltas foram afastados preventivamente, e o local foi desativado. Lá ficavam os servidores responsáveis pela segurança no transporte de presos de todas as penitenciárias da cidade. À época do roubo, o subsecretário de Administração Prisional de Minas Gerais, Murilo Andrade de Oliveira, afirmou que o afastamento era um procedimento padrão, até que a Polícia Civil concluísse a investigação, e que os nove responderiam a processo administrativo.
 
 
Segurança
A casa onde funcionava a Central de Escoltas, de acordo com o subsecretário, não tinha alarme e nem circuito interno de TV. Uma câmera de segurança na Penitenciária Dutra Ladeira conseguia acompanhar o entorno da casa, mas não teria gravado nenhuma movimentação suspeita durante o roubo, no dia 24 de março.

As armas que foram roubadas estavam em dois lugares: dentro de um cofre e dentro de uma sala blindada. A Subsecretaria de Administração Prisional de Minas Gerais afirmou que nenhum destes locais foi arrombado, nem outra porta da unidade.

Fonte: Blog dos Agentes Penitenciários de Juiz de Fora

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas leitores e não correspondem, necessariamente, a opinião do autor deste blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.