quinta-feira, 13 de março de 2014

HENRIQUE CORLEONE FALA DO MOMENTO POLÍTICO DO SISTEMA PRISIONAL E SE MANIFESTA DIANTE DOS TRIUNFOS

 

"Nunca na história deste país" (parafraseando o tal Lula) um Agente Penitenciário se tornou deputado em qualquer dos cantos do Brasil.

Em Minas Gerais, escutem, iremos fazer um candidato.

Parece que um sonho antigo será realizado, uma aspiração para a classe dos agentes pois, todos entendem que na atual democracia, classe sem representante é classe sem voz, quem não tem voz não tem vez, é sujeito às mudanças advindas do efeito osmose.

Estamos próximos de conseguir o maior feito da história dos Agentes, temos hoje um projeto que está estruturado e uma concordância das lideranças que compõem o Sistema Prisional.

Quando decidi abdicar de minha candidatura, visei concentrar as minhas forças para apoiar um nome e todos os outros possíveis candidatos pensariam assim, pois eu que, modéstia parte, tenho uma projeção em todo o Estado, logo os demais candidatos iriam abrir mão e apoiar nosso pré-candidato.

Uma candidatura geralmente possui aspectos positivos pois a pessoa se torna conhecida, e, mesmo não tendo chance, o indivíduo projeta o seu nome para depois sair candidato a vereador, porém, como temos que ser bastante racionais, devemos tomar uma decisão para o coletivo.

Desta forma, se um indivíduo sai candidato para projetar seu nome, sabendo que existe uma outra candidatura muito mais promissora e viável, quer dizer que isto causa um racha, confunde o eleitorado e prejudica o objetivo final que é o interesse da classe, portanto, para chegar à vitória, um candidato no sistema deve chegar num consenso com os demais para que alguém renuncie.

Esta renuncia é uma decisão pessoal e cabe àqueles que podem apoiar o candidato que tiver mais condições, desta forma, trata-se de uma decisão madura e sábia, levando em consideração o cenário, as dificuldades da disputa eleitoral e o fato de que nunca tivemos um candidato que conseguisse vencer a disputa, não só em minas, mas em todo o Brasil.

Ai eu pergunto: Quais motivos levaram os Agentes a não conseguir, em todo o país...

1. Divisões?
2. Falta de conscientização da base?
3. Falta de articulação das lideranças?

Bem, de qualquer forma sabemos que hoje estamos formando um bloco muito forte e poderoso, portanto, peço que as pessoas que estiverem pensando em sair candidatos, abram mão para discutir a pré-candidatura do Márcio Santiago como eu mesmo fiz.

Será um sacrifício para o coletivo, um sacrifício para o interesse maior que é ter um representante, e é, inclusive uma decisão madura pensando nos diversos pais de família que precisam vencer as dificuldades de uma das profissões mais desgastantes que existe.

Será tanto uma decisão madura quanto inteligente.

Sinceramente,

Henrique Henrique Corleone

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas leitores e não correspondem, necessariamente, a opinião do autor deste blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.