sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Nome de Bruno aparece no BID e CBF dá condição legal para o goleiro jogar

Nome do arqueiro apareceu no Boletim Informativo Diário da CBF

Bruno é novamente jogador de futebol. Ao menos no papel. Nesta sexta-feira (28), o arqueiro, que foi preso como mandante da morte de sua ex-amante Eliza Samudio, assinou contrato com o Montes Claros Futebol Clube, equipe que disputa a segunda divisão do Campeonato Mineiro. O compromisso firmado com o clube do Norte de Minas Gerais apareceu no Boletim Informativo Diário (BID) e já está regularizado junto à CBF. O acordo é válido por cinco anos, até o dia 27 de fevereiro de 2019.
Seu advogado, advogado Tiago Lenoir, levou o contrato firmado na quinta-feira à Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Com a assinatura de Bruno, o acordo foi registrado na CBF no último dia de inscrições para o Campeonato Mineiro. 
O defensor agora aguarda que o pedido seja autorizado pela Justiça, pois o goleiro é réu primário, tem residência fixa e já entregou o passaporte, demonstrando que não pretende fugir do país. Além disso, ele destaca que o atleta é pai de três filhos e tem o direito de trabalhar para gerar o sustento da família. Bruno está fora de atividade desde 2010, quando foi preso e acusado de ter comandado a trama que resultou no desaparecimento de Eliza Samudio, considerada morta pela Justiça.
"A defesa está fazendo a parte dela. Está previsto na Lei de Obrigações Penais o direito do preso trabalhar. O Bruno é atleta profissional e recebeu uma proposta interessante. Esperamos que a Justiça libere a transferência e autorize que ele volte aos gramados", disse Lenoir. 
Montes Claros se mostra otimista
O objetivo da diretoria do Montes Claros é que o jogador esteja disponível para disputar o hexagonal final do Módulo II do Estadual.  "Da nossa parte está tudo certo. Assinamos o contrato e mandados para Belo Horizonte. Estamos aguardando o parecer da Justiça sobre a sua transferência", explicou o dirigente do Montes Claros Futebol Clube, Vile Mocellin. 
Cumprindo pena de 22 anos e três meses de prisão pela morte de Eliza Samudio, Bruno precisaria ser transferido para o Presídio Regional de Montes Claros inicialmente. Além disso, a Justiça também deve determinar se o jogador vai poder treinar, viajar com o elenco em partidas fora de casa e se concentrar com o restante do elenco.
(*) Com Agência Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Os comentários postados pelos leitores deste blog correspondem a opinião e são responsabilidade dos respectivos comentaristas leitores e não correspondem, necessariamente, a opinião do autor deste blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.